Louvando o amor
Maria Nogueira Martinelli
(Sapeka)
 
 
Eu canto o amor, na forma mais simples que possa existir
com todo sentimento da força uterina que trago em mim
Me inspiro no cosmo da etérea certeza de apenas sentir
E te trago guardado no meu infinito eternamente assim!
 
 
 Busco no tempo, primórdio começo do meu ancestral
e danço o amor em raízes profundas desse meu rebalsar
Acerto meu passo em acordes longínquos desse espectral
ao som da certeza que o amor é o eterno na vida a pulsar!
 
 
Levo amor, seguindo na vida o curso, erguendo os altares
Renasço em você que se esconde no tempo desse meu sochão
Construo meu templo cultuando o amor em altos patamares
 Assim perpetuo você, o amor supernal, festejado em oração
 
07/09/08
 
 
Sempre Sapeka
 
Simplesmente Maria !
S. Holtz
 
É um sonho bem antigo, quem diria?
Mas, muito quis ter uma filha, um dia...
E adivinha, como será que eu a chamaria!
Se pensou diferente? eu lhe digo, é Maria.
 
Sim, Maria e outro também eu poderia
Dizer a e ela, enquanto que lhe sorria;
Das coisas da vida... um pouco de poesia
Que já está no seu nome, e eu repetiria.
 
Apenas com o coração  seria
... simplesmente Maria
... linda Maria
... Maria.

CriArt
©Poesia&Art
Anna Paes

 

 

Menu

Criação - ©Copyright 2006 - Machado Web Solutions.